terça-feira, 22 de dezembro de 2020

Grupo de Doutorandos em Filosofia-FFCS/UCP: 2020-2021

Mestres:
Álvaro Sanches Filho
Ernesto Tages Machado
Marcos Valério Nascimento
Martinho Artur Moura
Grupo de Doutoramento em Filosofia 2020-2021
Não há vírus que trave a circulação de ideias nem o espírito de amizade!

segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Pós-graduação "Biblioteca de Clássicos da Filosofia" dirigida à DST-GROUP

Enquadramento / Descritivo 

Teve início no dia 23 de setembro a Pós-Graduação em Filosofia, designada “Biblioteca de Clássicos da Filosofia”, dirigida aos quadros profissionais da DST-GROUP, inserindo-se no âmbito de um protocolo celebrado entre esta Empresa e o Centro Regional de Braga da UCP (Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais). Esta nova iniciativa formativa vem fortalecer a parceria já existente entre as duas Instituições, mas desta vez orientada exclusivamente para a formação filosófica.

Notícia da formação no Jornal EXPRESSO

Esta Pós-Graduação procura responder às missões respetivas das duas Instituições. Por um lado, a DST-GROUP considera que os desafios do mundo empresarial em que está inserida e, especialmente, dos seus quadros profissionais exigem cada vez mais a aquisição e o desenvolvimento de uma visão alargada, fundamentada e crítica da cultura ambiente, dos valores, das tendências e orientações que afetam as organizações, as comunidades e os indivíduos que constituem o seu mundo de inter-relações. A DST-GROUP está persuadida de que o contacto prolongado dos seus quadros profissionais com os grandes nomes e obras da História da Filosofia – um domínio praticamente ausente do histórico da sua formação escolar, intelectual e profissional  – lhes permitirá construir um entendimento mais aprofundado do mundo e da sociedade atuais e, assim, alcançar melhores soluções e respostas para os seus objetivos empresariais, objetivos esses que a DST-GROUP não separa do seu sentido de responsabilidade ética, social, ambiental, estética e planetária, desejando contribuir para a construção de um mundo mais sustentável, habitável e feliz. Ora, tendo em conta as necessidades elencadas, a DST-GROUP e a Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais uniram esforços para propiciar uma formação de qualidade.

À UCP, com a competência que lhe é reconhecida nesta área através dos seus cursos de Licenciatura, Mestrado e Doutoramento em Filosofia, cabe a coordenação científica e pedagógica desta oferta formativa. Esta aposta enquadra-se na visão estratégica da instituição de “ser uma universidade que lidera na produção global de ciência para o bem comum e na educação de hoje para os desafios de amanhã”, assim como na sua missão de “servir o País através de uma investigação inovadora e um ensino de excelência de vocação internacional, orientando-se para a sustentabilidade, no espírito que preside à formação humanista cristã” (UCP, Missão, Visão e Estratégia, 25 de novembro de 2016). A Pós-Graduação enquadra-se, ainda, num dos objetivos estratégicos da FFCS que consiste no estabelecimento de parcerias com entidades locais e regionais, potenciando a troca de conhecimento, a formação de quadros e a capacitação académica e sociocultural dos profissionais de diversas áreas.

Notícia-Entrevista (Eng. José Teixeira) na TSF

A lecionação desta oferta formativa, o acompanhamento e avaliação dos formandos da DST-GROUP será assegurada, exclusivamente, pelo corpo docente da área de Filosofia da FFCS-Católica (cf. elenco), contando com o apoio logístico e técnico da DST-GROUP. Para além da componente letiva, de modo a enriquecer os participantes da importância decisiva da Filosofia no debate das questões que, atualmente, preocupam a sociedade, estão ainda previstas um conjunto de conferências com prestigiados filósofos nacionais e internacionais. 

Esta Pós-Graduação oferece uma formação especializada, conjugando o conhecimento teórico de Autores e Obras essenciais da Filosofia Ocidental com a sua assimilação crítica, e com a elaboração prática de ensaios escritos que reflitam as repercussões das aprendizagens nas vivências dos formandos, a nível pessoal, social e profissional, de uma forma totalmente inovadora.

A formação tem como público-alvo cerca de 350 quadros profissionais da DST-GROUP (maioritariamente constituído por Engenheiros, Economistas, Gestores, Arquitetos, Designers, Quadros dos departamentos de Comunicação, Marketing e Produção), decorre em Regime Laboral, às quartas-feiras, das 17h00 às 18h00 (+ 10-15’ de esclarecimentos / debate), à distância (via plataforma teams), entre 23 de setembro de 2020 e 22 de junho de 2022.

Notícia n'O ECO

Os principais objetivos da formação são:

- Potenciar o conhecimento de Autores/Obras da História da Filosofia nas suas influências determinantes da Cultura atual.

- Desenvolver competências e capacidade de pensamento crítico e de abertura mental a novas conceções e perspetivas hermenêuticas.

- Promover no formando uma visão mais ampla e integrada dos saberes, mostrando como nos autores e obras estudadas a filosofia se cruza com questões sociais, económicas, científicas, éticas, estéticas, entre outras.

- Potenciar a cultura e a reflexão filosófica como mediação para o enriquecimento da compreensão do outro e para a construção de uma relação dialógica e argumentativa mais profunda e eficaz, em todos os domínios da nossa atividade (familiar, empresarial, social…)

- Descobrir a Filosofia como a grande paideia para o humanismo, para a responsabilidade, para a liderança e o desenvolvimento dos processos de reforma e de reinvenção da vida em comum, na habitação partilhada do planeta e do cosmos.  

Plano de Estudos: o cumprimento positivo dos requisitos da escolaridade e da avaliação de conhecimentos habilitará cada formando com 10 ECTS [82h/a + 4,5h/a aval.].

Notícia no Jornal O MINHO

O Programa integra os seguintes Autores: Heraclito, Parménides, Platão, Aristóteles, Marco Aurélio, Santo Agostinho, S. Tomás, Nicolau de Cusa, Maquiavel, Hobbes, Descartes, Espinosa, Locke Leibniz, Voltaire, Hume, Rousseau, Adam Smith, Kant, Hegel, Schopenhauer, Kierkegaard, Marx, William James, Nietzsche, Husserl, Bergson, Russel, Wittgenstein, Heidegger, Popper, Sartre.

> Outros ecos da Formação Filosófica na DSTGROUP:

- Ardina: https://www.pixelcut.site/article/2020_09_30_2076573766_grupo-dst-ensina-aristoteles-aos-trabalhadores-para-aprenderem-a-ser-melhores-lideres

- Associação Industrial Portuguesa:  http://www.aip.pt/uploads/Comunicacao/ResumosImprensa/2020/setembro/Dia30.pdf 

- Idealista / News: https://www.idealista.pt/news/imobiliario/construcao/2020/10/07/44822-filosofia-chega-ao-mundo-da-construcao-dstgroup-vai-dar-um-curso-aos-seus

- Imagens de Marca: https://www.imagensdemarca.pt/artigo/o-que-a-filosofia-e-a-construcao-tem-em-comum/

- Terras do Homem: https://terrasdohomem.pt/2020/09/30/empresario-de-braga-oferece-curso-de-filosofia-a-trabalhadores/

- Vila Nova: https://vilanovaonline.pt/formacao-dst-group-oferece-curso-de-filosofia-da-catolica-braga-a-quadros-superiores-da-empresa/

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

Provas de Mestrado de Edgar Correia Clara em Filosofia da Religião


Realizaram-se na Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Católica Portuguesa - Braga, no dia 01 de setembro de 2020, as Provas de Mestrado em Filosofia - Especialização em Filosofia da Religião do Licenciado Edgar Correia Clara.

O Candidato apresentou e defendeu a sua Dissertação intitulada: “O Lugar da Religião no Espaço Público”

O Júri das Provas foi constituído pelos seguintes membros:
- Presidente: Prof. Doutor José Miguel Dias Costa (UCP)
- Orientador: Prof. Doutor José Rui da Costa Pinto (UCP)
- Arguente: Prof. Doutor João Carlos Onofre Pinto (UCP)

Resumo da Dissertação:
Procurar o lugar da Religião no Espaço Público moderno é o principal objetivo da presente dissertação. Na primeira parte, procura-se fazer uma análise do conceito de Espaço Público e da diferença entre Público e Privado, percorrendo as principais correntes de pensamento político, considerando o Espaço Público moderno caracterizado pelo pluralismo de pensamento e pelo multiculturalismo social.
Na segunda parte, faz-se um levantamento da situação da Religião na vida social e no pensamento contemporâneo, explorando os conceitos de desencantamento do mundo, de Max Weber, e de saída da religião, de Marcel Gauchet, e ainda a questão da política como religião. Considerando a religião como um fenómeno social incontornável não apenas nas sociedades tradicionais, mas também nas sociedades modernas, procura-se explorar os conceitos de secularização e, também, o poder da religião no pensamento e na prática dos indivíduos e das sociedades. O ressurgimento do religioso no final do século XX e princípio do século XXI revela a tensão entre a religião e a visibilidade do Espaço Público à qual a Política não pode estar em posição de neutralidade de distanciamento, mas de neutralidade de integração.

Palavras-chave: espaço público; espaço privado; religião; multiculturalismo; pluralismo; desencantamento do mundo; saída da religião; secularização.

Abstract:
The search for the place of Religion in the modern Public Space is the main goal of this dissertation. The first part tries to analyse the concept of Public Space and the difference between Public and Private, going through the main trends of political thinking, considering the modern Public Space characterized by the plurality of thought and social multiculturalism.
The second part does a survey of the situation of Religion in the social life and in the contemporary thinking, exploring the concepts of Max Weber’s disenchantment of the world and Marcel Gauchet’s exit from religion, as well as the question of politics as a religion. Considering religion as an inevitable social phenomenon not only in traditional societies, but also on modern societies, the concepts of secularization and power of religion on the thinking and actions of both individuals and societies are explored. The resurgence of the religious in the end of the 20th century and the beginning of this century reveals the tension between religion and the visibility of the Public Space, to which Politics can’t be in a neutral distant posture, but instead in na integrating neutral stance.
Keywords: public space; private space; religion; multiculturalism; pluralism; disenchantment of the world; exit from religion; secularization.

domingo, 30 de agosto de 2020

The Insides of Nature: Causality and Conceptions of Nature

The Insides of Nature: Causality and Conceptions of Nature

Álvaro Balsas & Bruno Nobre (Eds.)

Acaba de ser publicado pela Axioma - Publicações da Faculdade de Filosofia, o quarto título da nova série: Axioma Studies in Philosophy of Nature and in Philosophy and History of Science.


Apresentação e Índice do Livro no endereço:

https://www.publicacoesfacfil.pt/product.php?id_product=1353

domingo, 2 de agosto de 2020

Bolsa de Doutoramento em Filosofia na Católica Braga - FFCS




O Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos (CEFH) da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Católica Portuguesa abre concurso para atribuição de 1 Bolsa de Investigação para Doutoramento, na área de Filosofia, ao abrigo do Regulamento de Bolsas de Investigação da FCT e do Estatuto do Bolseiro de Investigação. A bolsa tem uma duração inicial de 12 meses, renovável anualmente até ao máximo de quatro anos.

O prazo de candidaturas decorre entre 30 de julho e 30 de setembro de 2020. As candidaturas devem ser submetidas por correio eletrónico enviado para concursos.cefh@ucp.pt

A bolsa é financiada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) ao abrigo do Protocolo de Colaboração para Financiamento do Plano Plurianual de Bolsas de Investigação para Estudantes de Doutoramento, celebrado entre a FCT e o Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos (CEFH) (UI/00683/2020).

Mais informação e EDITAL no website do CEFH

quarta-feira, 15 de julho de 2020

Católica Open Day 15 de julho

Nestes dias, em que se tem fomentado a proximidade por interfaces digitais, mantemo-nos ligados a todos quantos nos queiram conhecer ainda melhor! Para tal, concebemos o Virtual Open Day na Católica em Braga, no próximo dia 15 de julho, a partir das 17h00, na plataforma ZOOM. Estudantes do ensino secundário, pais e encarregados de educação, professores e orientadores vocacionais. Estão todos convidados a entrar e a interagir, para podermos esclarecer virtualmente questões sobre temas como o acesso ao ensino superior privado e como conseguir uma bolsa de estudo. Além destas temáticas poderão encontrar-se com os coordenadores dos diversos cursos da nossa oferta formativa. Agradecíamos e solicitamos a divulgação do evento junto de todos os interessados. Para mais e melhor informação, segue o link onde poderão ser encontradas as diversas salas no dia 15 de julho. http://candidaturas.braga.ucp.pt/

sábado, 11 de abril de 2020

Teorias Políticas Medievais na Revista Portuguesa de Filosofia

A Revista Portuguesa de Filosofia [Axioma - Publicações da Faculdade de Filosofia] publicou recentemente o fascículo 3 de 2019, dedicado ao tema "Teorias Políticas Medievais".

Para consultar os resumos, as palavras-chave e as notas de cada um dos artigos, clique aqui

Elenco dos artigos:

José Maria Silva Rosa and Álvaro Balsas, “Apresentação – Teorias Políticas Medievais,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1423–32, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1423.

Joaquim Cerqueira Gonçalves, “Questões de Política Medieval: O Cristianismo nas Encruzilhadas do Poder,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1433–58, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1433.

Alexandre Franco de Sá, “Teologia Política entre Império e Estado: Um Percurso entre Carl Schmitt, Erik Peterson e Giorgio Agamben,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1459–88, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1459.

Giannina Burlando, “Sobre Pasión y Gloria en San Agustín,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1489–98, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1489.

Luís Carneiro, “Iconologia e Teologia Política,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1499–1520, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1499.

Rafael Ramón Guerrero, “Al-Ghazâlî y la teoría ismailí del poder,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1521–38, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1521.

António Rocha Martins, “The Zoon Politikon: Medieval Aristotelian Interpretations,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1539–74, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1539.

José Maria Silva Rosa, “‘A glória dos reis é tomar a palavra.’ Discurso, ‘verdade’ e poder no Rex Pacificus,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1575–1610, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1575.

Francisco Bertelloni, “La construcción de la figura del Emperador como soberano absoluto en el De monarchia de Dante Alighieri,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1611–24, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1611.

Jaume Mensa I Valls, “El rey como minister iustitiae en la Allocutio christini y la Informació espiritual de Arnau de Vilanova: elementos de filosofía política,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1625–42, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1625.

Roberto Hofmeister Pich, “Scotus sobre a origem e a natureza do político,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1643–82, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1643.

Bernardo Bayona Aznar, “La singularidad de Marsilio de Padua: el fundamento del poder fuera de la teología política,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1683–1720, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1683.

Gregorio Piaia, “Forme della laicità fra tardo medioevo e prima età moderna: Marsilio da Padova e Paolo Sarpi,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1721–38, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1721.

Jürgen Miethke, “Aristotelismus und Averroismus in der politischen Theorie bei Marsilius von Padua und Wilhelm von Ockham,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1739–62, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1739.

William Saraiva Borges, “A Liberdade Religiosa e Política na Terceira Parte do Diálogo de Guilherme de Ockham,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1763–84, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1763.

João Pinheiro da Silva, “A Teoria da Escravidão Natural de Aristóteles a Francisco de Vitória,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1785–1800, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1785.

Alfredo Culleton and Marlo do Nascimento, “Pensamento Económico na Idade Média,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1801–24, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1801.

José Meirinhos, “A Paz e o Direito de Guerra em Álvaro Pais e Diogo Lopes Rebelo,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1825–50, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1825.

António Bento, “Do corpo político medieval à pessoa política moderna,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1851–80, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1851.

Esteban Peña Eguren, “La filosofía política de Guillermo de Ockham en el Dialogus III: relación entre Iglesia y Estado,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1881–1902, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1881.

Marcos Eduardo Melo dos Santos and Weber Suhett de Oliveira, “State, Consensus and Legitimacy in the Political Philosophy of Erasmus of Rotterdam,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1905–26. https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1905.

Marco Heleno Barreto, “Uma Catástrofe Metafísica para o Simbolismo no séc. XIII? Observações Críticas sobre a Narrativa de Gilbert Durand acerca do Momento Medieval do ‘Iconoclasmo Ocidental,’” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1927–50, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1927.

Domingos Faria, “(β) não dá Base ao Incompatibilismo entre Determinismo e Livre-Arbítrio,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1951–76, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1951.

Diana Couto and Sílvia Bento, “Book Review - Uma Leitura da Filosofia Contemporânea. Figuras e Movimentos,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1979–96, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1979.

Tamires Dal Magro, “Book Review - Por construção de conceitos: em torno da filosofia kantiana da matemática,” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 1997–2006, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_1997.

José Meirinhos, “In Memoriam. O pensamento político medieval e a obra de José Antônio de Camargo Rodrigues de Souza (1949-2017),” Revista Portuguesa de Filosofia 75, no. 3 (2019): 2009–14, https://doi.org/10.17990/RPF/2019_75_3_2009.


sábado, 4 de janeiro de 2020

Provas de Doutoramento de Francisco José de Jesus Oliveira sobre Humanismo de Leonardo Coimbra


Realizaram-se na Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Católica Portuguesa - Braga, no dia 22 de julho de 2019, as Provas de Doutoramento em Filosofia - Especialização em Filosofia da Religião do Mestre Francisco José de Jesus Oliveira

> O Candidato apresentou e defendeu a sua Dissertação intitulada: “O Humanismo de Leonardo Coimbra: A Rússia de Hoje e o Homem de Sempre

O Júri das Provas foi constituído pelos seguintes membros:
Presidente: Vice-Reitor  Prof. Doutor Luís Gustavo Pereira Marques Martins (UCP) 
Vogais: - Prof. Doutor Pedro José Calafate Villa Simões (Arguente - UL)
             - Profª. Doutora Maria Celeste Lopes Natário Alves dos Santos (UP)
             - Prof. Doutor Pedro Miguel Páscoa Santos Martins (Arguente Principal - UM)
             - Prof. Doutor José Gonçalves Gama (Orientador - UCP)
             - Prof. Doutor José Rui da Costa Pinto (UCP)
             Prof. Doutor Carlos A. Saraiva Bizarro Morais (Arguente - UCP)

> Resumo da Dissertação:  
Neste trabalho de investigação académica sobre o humanismo de Leonardo Coimbra,
como sempre se deve fazer nos trabalhos do filósofo, partimos da sua existência concreta,
tempos e acontecimentos que indelevelmente marcaram o seu pensar e agir, para
seguidamente os transpor para os seus escritos e ação política e social. E aqui percebemos
a continuidade e amadurecimento da sua reflexão filosófica e científica, política e religiosa,
que na sua última obra, A Rússia de Hoje e o Homem de Sempre, se expressa em
humanismo cristão. Este homem religioso, desde sempre, e socialista democrata em
aprofundamento desde a primeira hora, coloca a humanidade no centro das suas
preocupações e com ela Deus, até chegar ao Deus de Cristo Jesus. E nele encontra o
homem católico (universal e cósmico) como o paradigma por excelência do seu
humanismo. Este percurso é um verdadeiro itinerário filosófico que o nosso filósofo
percorre, e eu com ele, para perceber a génese da sua filosofia criacionista, denunciadora
de todos os cousismos, que faz termo no humanismo cristão, o socialismo cósmico por
antonomásia.
Palavras – chave: República, Democracia, Ciência, Positivismo, Sociedade, Socialismo,
Bolchevismo, Religião, Amor, Cristianismo, Humanismo

Abstract
In this work of academic research about the humanism of Leonardo Coimbra, as should
always be done in the works of the philosopher, we start from his concrete existence, times
and events that indelibly marked his thinking and acting, that were transposed to his
writings and to his political and social actions. And here we see the continuity and
maturation of his philosophical and scientific, political and religious reflection, which in
his last work, Russia of Today and the Man of Always, is expressed in Christian humanism.
This religious man, who has always been a Democrat socialist since the first hour, puts
humanity at the center of his preoccupations and with them, God, until he reaches the God
of Christ Jesus. And in it he finds the Catholic man (universal and cosmic) as the paradigm
per excellence of his humanism. This journey is a true philosophical itinerary that our
philosopher travels, and I with him, to find the genesis of his creationist philosophy,
denouncing all the cousisms, which ends in Christian humanism, cosmic socialism by
antonomasia.
Keyword: Republic, Democracy, Science, Positivism, Society, Socialism, Bolshevism,
Religion, Love, Christianity, Humanism

Mestrado em Filosofia 2019-2020


> Grupo de Mestrandos de Filosofia com o Diretor da Faculdade (Prof. Doutor José Manuel Lopes) e o Coordenador do Mestrado (Prof. Doutor José Rui da Costa Pinto).
> Em reunião de início de ano, reinando a boa disposição e a proximidade - uma marca "Católica".
> No presente Ano Letivo abriram as duas Especializações do Mestrado

sexta-feira, 22 de junho de 2018

"O que é o tempo?" - Seminário, 28 de junho de 2018 na Univ. Católica - Braga

  • Terá lugar no dia 28 de Junho pelas 10h30 no Auditório Isidro Alves a terceira Sessão do Seminário Interdisciplinar de Filosofia da Natureza. Desta vez o tema “O que é o tempo?” irá dar o mote ao debate.
  • Neste encontro pretendemos abordar o(s) conceito(s) de tempo nas teorias físicas atuais, com particular ênfase na Termodinâmica e na Teoria da Relatividade, bem como os pressupostos metafísicos e filosóficos que lhes estão subjacentes. 
  • Tentar-se-á responder a perguntas como: O Tempo é finito ou infinito? É linear ou circular? Tem uma origem e um fim? Qual a sua relação com os conceitos de espaço, determinismo, causalidade, reversibilidade, emergência e condições iniciais das leis físicas? Qual a relação da seta do tempo com as noções de passado, futuro, memória, informação e morte térmica do Universo?

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Deus depois da «morte de Deus»: Abordagens filosóficas contemporâneas


JORNADA DE FILOSOFIA DA RELIGIÃO

Deus depois da «morte de Deus»: Abordagens filosóficas contemporâneas 

Sábado, 26 de Maio de 2018 | Edifício D do Campus Camões - Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Católica Portuguesa – Centro Regional de Braga

Apresentação

A formulação de provas racionais da existência de Deus marcou profundamente a história da filosofia ocidental. Os autores medievais, apoiados nos princípios da filosofia antiga e imersos numa cosmovisão claramente cristã, foram capazes de engendrar uma diversidade de provas, estimulando intermináveis disputiones. Os debates em torno da existência de Deus proliferaram, também, ao longo da era moderna. Mesmo num contexto de progressiva secularização dos saberes, a razão continuava a procurar Deus. Surgiram novas provas da existência de Deus e também novas formulações dos argumentos clássicos, tanto cosmológicos como ontológicos. Longe de estar terminado, o debate em torno das provas racionais da existência de Deus persiste no seio das diversas correntes da filosofia contemporânea. Ao longo da jornada, serão explorados três contributos distintos para este debate: (1) a argumentação de teor lógico-formal elaborada, sobretudo, no contexto anglo-saxónico, a partir da filosofia analítica e seus métodos; (2) o debate no seio da fenomenologia francesa contemporânea, mais centrada na questão da fenomenalidade de uma eventual manifestação divina; e (3) a forma original de pensar a existência de Deus a partir da filosofia de Xavier Zubiri.

Programa | Horário | Inscrição > aqui

sábado, 18 de novembro de 2017

Dia Mundial da Filosofia 2017 na FFCS dedicado ao tema: "Filosofia e Transformação do Ser Humano e da Sociedade"


> Jornada Comemorativa:
A Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais (FFCS) integrou-se na Comemoração Internacional do Dia Mundial da Filosofia 2017, celebrado no passado dia 16 de novembro. Para tal, organizou a Jornada dedicada ao tema: "Filosofia e Transformação do Ser Humano e da Sociedade", realizada na Aula Magna desta Faculdade. 
Esta Jornada Filosófica foi organizada em parceria com a Associação Portuguesa de Ética e Filosofia Prática (APEFP) e em colaboração com diversas Escolas e Colégios do Ensino Secundário da Região.

> Notícia de Apresentação:
À semelhança do que tem acontecido nos anos anteriores, a Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais (FFCS) associa-se mais uma vez à celebração do Dia Mundial da Filosofia, patrocinado pela Unesco, promovendo uma Jornada de reflexão temática e de sensibilização dos jovens para o estudo da Filosofia.
Esta Jornada realizar-se-á no próximo dia 16 de novembro, na Aula Magna da FFCS, com início às 9H00 e finalização por volta das 12H30.
A temática geral desta Jornada, alinhada com a proposta da Unesco, versará a função da Filosofia como tarefa de transformação do ser humano e da sociedade. Será desdobrada mediante quatro palestras intituladas "Filosofia e Redes Sociais" (Eugénio Oliveira), “Filosofia e Gestão” (Carlos Louro), “Filosofia e Direitos Humanos" (Nuno Fadigas), "Maldito Quadrilátero: O Caso do Achismo" (Artur Galvão). Após cada palestra haverá um período de diálogo com a assistência.
O Programa das Jornadas inclui ainda a apresentação dos Prémios Nacionais de Ensaio Filosófico em Ética e  Filosofia e no Conto Filosófico para Crianças. Finalmente haverá lugar para a apresentação de um diaporama sobre as edições anteriores do Dia Mundial da Filosofia na FFCS.
A Jornada pretende também dar continuidade à “política” da valorização dos antigos alunos da Faculdade, graduados e pós-graduados em Filosofia, chamando-os a colaborar ativamente, dando-lhes a vez e a voz. Nesta linha, a organização da Jornada tem como parceiro institucional a Associação Portuguesa de Ética e Filosofia Prática, uma dinâmica associação dirigida por antigos alunos da FFCS. São também antigos alunos os oradores das palestras que compõem o Programa da Jornada.
Mas o objetivo estratégico da Jornada centra-se na promoção da Filosofia junto dos jovens que estão a finalizar os estudos secundários, de modo a despertar neles o interesse, a curiosidade e a motivação para o prosseguimento de estudos nesta área do conhecimento. Por isso, estas Jornadas contarão com a presença de um significativo número de Escolas e Colégios da região, que trarão à Aula Magna da FFCS as suas turmas do ensino secundário.
A FFCS tem feito um esforço notável para que todos os candidatos que manifestam aptidão para o estudo da Filosofia, se possam candidatar e realizar os seus estudos, sem o acréscimo de custos que as propinas sempre acarretam; para tal, a Faculdade oferece aos alunos de Filosofia bolsas de estudo que tornam a propina de valor equivalente ao que é praticado pelas Universidades do Estado. Deste modo, a FFCS pretende continuar a dar o seu contributo para manter presente a Filosofia na sociedade e na cultura portuguesas. Há mais de 70 anos que esta Faculdade forma, a partir de Braga, sucessivas gerações de filósofos que muito têm enriquecido todos os sectores da Sociedade em que eles se inserem. Uma verdadeira responsabilidade intelectual de que os atuais responsáveis se orgulham, assumem e querem transmitir aos vindouros. (Carlos B. Morais)

> Programa da Jornada:
09H30 – Receção e boas-vindas aos Alunos e Docentes das Escolas Participantes
               - José Rui da Costa Pinto – Coordenador do Curso de Filosofia da FFCS
               - Eugénio Oliveira – Presidente da APEFP
09H45 – 1ª Palestra: Eugénio Oliveira: "Filosofia e Redes Sociais"
10H15 – 2ª Palestra: Carlos Louro: “Filosofia e Gestão”
10H45 – Coffee break / Convívio
11H00 – 3ª Palestra: Nuno Fadigas: “Filosofia e Direitos Humanos"
11H30 – 4ª Palestra: Artur Galvão: "Maldito Quadrilátero: O Caso do Achismo"
12H00 – Eugénio Oliveira: Apresentação dos Prémios Nacionais de Filosofia:
            - Prémio Nacional do Ensaio em Ética e Filosofia
            - Prémio Nacional do Conto Filosófico para Crianças
12H15 – Carlos Morais: Apresentação de videograma sobre A Filosofia na FFCS
12H25 – Agradecimentos e despedida: Miguel Gonçalves – Diretor da FFCS

> Escolas e respetivos Docentes presentes nos trabalhos da Jornada:
. Alfacoop / Externato D. Henrique: Profªs. Isabel C Araújo e Maria La Salete Pereira
. Colégio D. Diogo de Sousa: Profª. Margarida Dias e Profº. Manuel Rocha Pereira
. Colégio João Paulo II: Profª Joana Faria e Profº Pedro Louçano
. Escola Secundária de Alberto Sampaio: Profª Deolinda Ferreira e Profº José M Santos
. Escola Secundária de Maximinos: Profª Maria Adelaide S Oliveira
. Instituto Nun'Álvres / Colégio das Caldinhas: Profª. Raquel Sameiro Lima Costa e Profº. José Carlos Escaleiro Eira

> Documentário e imagens da Jornada (para breve: em produção pela"Oficina" - Escola Profissional do Instituto Nun'Álvres) 
Alfacoop / Externato Infante D. Henrique
Colégio D. Diogo de Sousa
Colégio João Paulo II
 Escola Secundária de Alberto Sampaio
Escola Secundária de Maximinos
Instituto Nun'Álvres / Colégio das Caldinhas
O Professor J. Rui Costa Pinto com a Antiga Aluna Drª Adelaide Oliveira
Professor José Rui Costa Pinto, Coordenador do Curso de Filosofia
Dr. Eugénio Oliveira, Presidente da APEFP
Professor Miguel Gonçalves, Diretor da FFCS
Professor Artur Galvão
Dr. Carlos Louro
Dr. Nuno Fadigas
Professor Carlos Morais, Coordenador da Jornada DMF 2017
Estudantes, apresentadores e animadores da Jornada DMF 2017 

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Seminário Permanente de Filosofia: Estética Musical /Filosofia da Música

Decorrerá já na próxima sexta-feira, dia 20 de Outubro, das 11h às 13h, na sala P1 da FFCS da UCP-Braga, a próxima edição do Seminário Permanente de Filosofia

O tema a privilegiar será, desta vez, o da estética musical, que se debaterá a partir da conferência
"Estética Musical /Filosofia da Música como área de pesquisa nas universidades brasileiras: um breve percurso", a cargo da Prof. Doutora Lia Vera Tomás, da UNESP (Brasil); a moderação é assumida pela Professora Doutora Yolanda Espiña, Coordenadora da Linha de Investigação de Filosofia  do CEFH, da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais da UCP.A Prof. Doutora Lia Tomás, Livre-Docente em Estética Musical (UNESP), apresenta-se na Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais como investigadora visitante do CEFH, no contexto de um projecto de investigação financiado pela FAPESP, do Brasil. Possui Bacharelado em Música (Instrumento Piano) pela UNESP -Instituto de Artes (1985), Mestrado e Doutorado em Comunicação e Semiótica pela PUCSP (1993 e 1998), dois Pós-Doutorados em Estética Musical (Université de Paris I-Institut d'Esthétique et des Sciences de l'Art) (2001 e 2003). Coordenou o Programa de Pós-Graduação em Música da UNESP - Instituto de Artes de 2007 a 2013 (duas gestões), foi 1ª Secretária da ANPPOM (Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música), de 2008 a 2011. Foi também membro titular da Comissão Permanente de Avaliação (CPA) da Reitoria da UNESP e do GRAI/Avaliação Institucional da UNESP (2012 a 2016). Atualmente, é membro titular do Conselho Universitário da UNESP e da Congregação do Instituto de Artes. Coordena o DeMusica: Laboratório de Estudos em Estética Musical e Filosofia da Música (Projeto CNPq).
O Seminário, particularmente dirigido ao Grupo de Filosofia da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais, está aberto, a todos os docentes e alunos da mesma instituição, assim como a todos os interessados.

Fonte: GABRPCOM - Gabinete de Relações Públicas e Comunicação
Universidade Católica Portuguesa | Braga

domingo, 15 de outubro de 2017

Revista Portuguesa de Filosofia, Fasc. 2, 2017 - "Filosofia e Experiência de Deus"

Qua idea, parece ser inevitável que Deus vem à mente. O que depois vem desse pensamento é que se
revela muito mais difícil de explicar, pois é igualmente inevitável que a mente humana procure explicar os contornos da crença e a sua relação com a experiência. A mente realmente importa. Mas também o ethos, um modo peculiar de viver no mundo, envolvendo uma decisão e, possivelmente, um compromisso prático com a Vida que vem até nós sem o nosso consentimento, mas que exige esse consentimento para ser reconhecida, para ter uma expressão efetiva. Os artigos que compõem este fascículo da Revista Portuguesa de Filosofia reflectem essa luta fundamental a partir de várias perspectivas.

Manuel Sumares (Org.)

Índice

Manuel Sumares, “Presentation - Philosophy and Experience of God,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 435–38, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0435

Carlos Morujão, “Is There a Place for God after the Phenomenological Reduction? Husserl and Philosophical Theology,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 439–54, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0439

Luís Carneiro, “Metaphysical Vacuity and Mystagogical Praxis,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 455–78, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0455

Yolanda Espiña, “Cognitio Dei experimentalis. Notas sobre mística y el problema racional de la inmanencia,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 479–502, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0479

João Manuel Duque, “Experiência de Deus no Pensamento. Breve Leitura de Jörg Splett,” Revista Portuguesa de Filosofia73, no. 2 (2017): 503–14, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0503

Mendo Castro Henriques, “Franz Rosenzweig e o Deus Reconhecido,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 515–32, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0515

Juan José Garrido Periñán, “La experiencia de la religiosidad: caminos fenomenológicos en busca de la mismidad del Dasein. Heidegger y la fenomenología de la religión,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 533–56, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0533

Igor Tavilla, “Inconoscibilità di Dio e interiorizzazione della fede nella filosofia di Søren Kierkegaard,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 557–84, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0557

Ionuț-Alexandru Bârliba, “Religious Authenticity in Kierkegaard’s and Nae Ionescu’s Philosophy,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 585–600, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0585

Encarnación Ruiz Callejón, “De la terapia del «Gran médico» a la tribulación del sabio: las meditaciones de Tomás Moro y Boecio sobre la experiencia de Dios y el sufrimiento,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 601–36, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0601

Mário João Rosas Rebelo Correia, “Univocidade do ser e eterno retorno: Deleuze, Duns Escoto e a reavaliação da transcendência divina,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 637–68, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0637

Arturo Diaz, “O Corpo Místico de Santa Teresa e o Plano de Consistência Deleuziano,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 669–86, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0669

Adelino Alcides Songaila Abrunhosa Ferreira, “Cuidado de Si e Conversão na Antiguidade: Leitura Crítica com Michel Foucault,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 687–716, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0687

Viorel Vizureanu, “Ways of Subordinating God to Human Beings in Early Modern Philosophy: A General Overview with Special Attention to the Role Played by Mathematics in Cartesian Epistemology,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 717–50, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0717

António M. Costa, “Modernidade e pós-modernidade: razão, sentimento religioso e experiência de Deus em Leonardo Coimbra,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 751–70, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0751

Liviu Petcu, “The Doctrine of Epektasis. One of the Major Contributions of Saint Gregory of Nyssa to the History of Thinking,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 771–82, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0771

Patrícia Calvário, “Bounds of Reason in the Knowledge of God: Gregory Palamas’ Criticism of Greek Philosophy,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 783–92, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0783

Inês Bolinhas, “Deus no último escrito de São Tomás de Aquino,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 793–804, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0793

Dan Chițoiu, “Philosophy and the Role of Experience in Hesychast Practice,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 805–16, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0805

Samuel Dimas, “A experiência transcendental e atemática do Mistério de Deus nas metafísicas de José Enes e Gustavo de Fraga,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 817–38, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0817

Claudinei Aparecido de Freitas da Silva, “Experienciar Deus: Gabriel Marcel, na Contramão da Teodiceia,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 839–64, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0839

Federica Dotti, “Um ano depois da Amoris Laetitia,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 867–92, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0867

Francisca Soares Rutigliano, “Heidegger e o Diálogo: O Percurso de uma discussão fenomenológica na qual o fenômeno da serenidade é apresentado enquanto o constitutivo da essência do pensamento,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 893–942, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0893

Savu Totu, “Presenting Dumitru Staniloae: A Major Orthodox Theologian’s Engagement with Philosophy within the Theological Experience,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 945–50, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0945

Armênia Maria de Souza and Nezivânia Freitas, “Book Review - Souza, José Antônio de Camargo R. de; Bayona Aznar, Bernardo. Igreja e Estado: Teorias Políticas e Relações de Poder no Tempo de Bonifácio VIII (1294-1303) e João XXII (1316-1334). Braga: Axioma – Publicações da Faculdade de Filosofia, 2016.,” Revista Portuguesa de Filosofia 73, no. 2 (2017): 953–56, DOI 10.17990/rpf/2017_73_2_0953